Título: Quando o céu mudar de cor

Autora: Júlia Rezende 

Editora: Publicado de forma independente 

Páginas: 301

Ano: 2017

Sinopse: Celina acaba de viajar para o Chile com seu pai. Aspirante à faculdade de Artes, ela reencontra parentes que marcaram sua infância ao mesmo tempo em que conhece novas pessoas. Ao se envolver com os integrantes de uma banda, em especial com Nícolas, o violinista, Celina se vê questionando suas escolhas, saindo de sua zona de conforto e descobrindo novas possibilidades que geram conflitos internos e tensões, principalmente, com seu pai. Vivenciando esses novos relacionamentos, Celina percebe as dificuldades e sonhos de cada um, e acaba descobrindo os seus próprios, compreendendo que a vida pode tomar rumos inesperados e surpreendentemente positivos.

Oii galera, tudo bem com vocês? A resenha de hoje é de um livro que li em parceria com a autora. "Quando o céu mudar de cor" é um Young Adult que contará a história da Celina,uma jovem que resolve viajar para o Chile com o pai nas férias , e será nessa viagem que ela descobrirá mais sobre si mesma, seus medos, escolhas, amizades e talvez a descoberta de um novo amor.

O livro é centrado na Celina e na sua vida, tudo se inicia com a viagem que ela está fazendo com o pai para o Chile, narrado em primeira pessoa iremos acompanhar toda a sua viagem, e no decorrer da história vamos ver a nossa protagonista enfrentando situações normais de todo adolescente como as inseguranças de qual curso fazer, qual decisão tomar, as amizades e as questões do coração.

"Independente de onde você estiver, com quem estiver ou o que estiver fazendo, ainda é você. E, acredite, a maior parte de nossos problemas é interno, não externo."

Em meio à esses dilemas vamos descobrindo mais sobre a Celina, percebemos que ela sempre tentou agradar os pais, inclusive fazendo um vestibular para o mesmo curso que a mãe fez que é Artes. No Chile ela acaba fazendo amizade com uma banda e despertando novos sentimentos por Nícolas , o violonista. E será ele quem fará com que Celina comece a questionar as suas escolhas, o que ela realmente quer, será uma jornada de auto conhecimento que iremos acompanhar. E é nítido perceber o crescimento e amadurecimento da personagem ao longo do livro.

Quando recebi o livro não imaginei que iria gostar tanto da história, a Júlia tem uma escrita leve e bem construída, aqui teremos um enredo focado na própria personagem, me senti conectada à ela desde do primeiro capítulo, parecia que estava ali com os personagens. Foi um enredo tão real, com questões que são comuns no nosso dia a dia que foi fácil me conectar. Além disso, a autora aborda o homossexualismo de maneira tão sútil que me conquistou. 

"Quando o céu mudar de cor" é um Young adult bem escrito, com personagens cativantes e acima de tudo com uma trama real, com situações comuns à qualquer leitor. Com uma escrita leve e fluída Júlia faz o leitor se conectar  com a história e o final é o mais real possível, sem clichês. Uma história sobre inseguranças, amizades, amor e principalmente sobre redescobertas, sobre saber o que você quer e quem você é. Fico extremamente feliz de saber que há tantos autores nacionais bons e espero muito que a autora continue escrevendo. 

" Você tem que achar um equilíbrio entre se manter verdadeiro a quem você é e aceitar que sua definição de "eu" está em constante mudança."


Espero que tenham gostado da resenha.
- Beijos, Carol!







Oii galera, tudo bem com vocês? Hoje vim trazer uma tag que eu vi no blog da minha xará A Colecionadora de Histórias (inclusive amo o blog dela e super recomendo). Gente eu amei essa tag, e como hoje é natal nada melhor que comemorar esse dia como uma TAG, e na hora já quis responder porque tem de tudo um pouco: vou falar de livros, séries e filmes. Então , vamos para as perguntas: 

1. (Topo) Um livro que você “necessite” ganhar de natal, mais um que marcou 2017 e outro que você está ansioso(a) para chegar logo 2018.

- Livro que eu necessito ganhar de natal era o The Beauty Of Darkness, o último livro da trilogia Crônicas de Amor e Ódio, mas já adquiri ele, então estou muito feliz, porque quero muito finalizar a trilogia.

- Um livro que marcou meu 2017 foi Por Lugares Incríveis, eu amei tanto esse livro, ele me tocou de uma forma maravilhosa, super recomendo.

- Um livro que estou ansiosa para 2018 é 99 Dias , um livro que vai tratar sobre traição, amor, perdão e recomeços, acredito que será uma leitura que irei gostar muito.

2. (Tronco) Um filme que você ainda tem que assistir esse ano, mais um que te marcou em 2017 e outro que você espera para 2018.

- Um filme que quero assistir ainda esse ano é Liga da Justiça, o filme parece estar incrível. 

- Um filme que me marcou esse ano foi Fragmentados, achei a história diferente, criativa e me prendeu do início ao fim, espero que tenha uma continuação. 

- Na verdade eu não tenho nenhum filme específico para 2018 não, gosto de terror, drama, suspense e comédia, então qualquer coisa nesse estilo eu vou querer assistir.

 3. (Raiz) Uma série que você vai assistir ainda esse ano, uma que te marcou em 2017 e mais uma que você começará a ver no próximo ano.

- Uma série que quero assistir ainda esse ano é Dark da Netflix, muita gente está falando bem e acredito que vou gostar muito.

- Uma série que me marcou esse ano com certeza foi The Vampire Diares, eu tenho um carinho enorme por essa série e sempre será a minha favorita, foi através dela que comecei a assistir séries, infelizmente esse ano ela foi finalizada, mas ela tem um cantinho especial no meu coração <3

- Quero começar várias séries em 2018, mas a que eu estou mais ansiosa é The Sinner que é lançamento desse ano da netflix.

4. (Estrela) Um quote que te marcou esse ano

"acima de tudo ame
como se fosse a única coisa que você sabe fazer
no fim do dia isso tudo
não significa nada 
esta página 
onde você está
seu diploma 
seu emprego
o dinheiro
nada importa 
exceto o amor e a conexão entre as pessoas 
quem você amou 
e com que profundidade você amou 
como você tocou as pessoas à sua volta 
e quanto você se doou a elas"


Bom galera, essa foi a TAG, espero que tenham gostado. Desejo a todos vocês um Feliz Natal!
- Beijos, Carol!








Categorias:

Título: Amante Eterno, livro 2 da série da Irmandade da Adaga Negra

Autora: J. R. Ward

Editora: Universo dos Livros

Páginas: 448

Ano: 2010

Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos os redutores. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo letal para todos à sua volta. Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está em busca de amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. Enquanto os inimigos fecham o cerco, ela luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...
Oii galera, tudo bem com vocês? Hoje vou falar de uma continuação de série que é "Amante eterno" o segundo livro da série da Irmandade da Adaga Negra, aqui a história será focada em outro membro da Irmandade: o Rhage.

A história começa quando ao acaso uma humana, Mary , é colocada no caminho dos guerreiros, mais especificamente de Rhage. O guerreiro se sente atraído por Mary , mas humanos e vampiros não devem conviver entre si, e esse dilema vai se desenvolver na vida deles. Como se não bastasse isso, Mary está doente e talvez tenha pouco tempo de vida e Rhage por sua vez esconde uma terrível maldição: uma besta habita seu corpo e quando ela se manifesta ele torna-se um monstro capaz de matar qualquer pessoa que esteja em seu caminho seja ela amigo ou inimigo. É com base nessas complicações que a trama irá se desenvolver. Será que Mary conseguirá sobreviver a sua doença? Rhage será capaz de controlar a sua maldição? Ambos conseguirão ficar juntos apesar de todas as dificuldades que existe em uma relação entre humano e vampiro?

“- Por que você não me deixou para trás simplesmente? Tudo isso… não teria acontecido.
– Não há nada que eu não fizesse por sua segurança, por sua vida.”


Nesse segundo volume, a guerra entre redutores e vampiros que foi pano de fundo do primeiro livro continua aqui, a única coisa que muda é que o foco na história será em outros personagens. O que mais me chama atenção na saga é que a autora traz um enredo diferente que foge do clichê tanto pelo mundo criado quando pelos problemas enfrentados pelos personagens.

Rhage, sempre foi considerado o mulherengo do grupo, ele chama atenção por onde passa com a sua beleza e é considerado um dos guerreiros mais forte, porém ele enfrenta uma maldição dada pela Virgem Escriba e no início o leitor não sabe qual foi o motivo e como ela se manifesta. Já Mary enfrenta muitos problemas pessoais e além disso ela está com câncer, no decorrer do livro a autora vai explicando tudo ao leitor, e é isso que tanto me conquista nesses livros, é que a escritora consegue explicar o necessário e não deixar "pontas soltas", mas ao mesmo tempo ela deixa alguns detalhes passarem despercebido para dar um gancho ao próximo livro.

Nesse livro, ela continua com as cenas eróticas, mas nada que me incomodasse tanto, há uma boa dose de ação e os personagens secundários chamam tanto a atenção quanto os principais, são bem construídos e desenvolvidos. O único ponto negativo, é que a leitura estava um pouco lenta no início, a história não me "prendeu " logo no começo, não foi problemas com a escrita e nem com a trama em si, simplesmente demorei para pegar um ritmo na leitura.

"Amante eterno" vem com a mesma premissa do livro anterior com uma trama que foge do clichê e abordando problemas interessantíssimos. Com ação, romance e uma dose de erotismo a escritora vai conduzindo o leitor por esse mundo de vampiros, humanos e redutores (humanos sem alma) e ao fim deixa o leitor ansioso para ler o próximo volume.

"Não teme a dor? perguntou ela. Não, mas lhe direi o que me assusta como o inferno. Perder você."



Título: Assassinato no Expresso do Oriente

Autora: Agatha Christie 

Editora: Harper Collins


Páginas: 200

Ano: 2016


Sinopse: Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano. O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.


Oii galera, tudo bem com vocês? Hoje vou falar de um livro  que está super comentado, pois foi lançado o filme recentemente que é " Assassinato no Expresso do Oriente" da rainha do crime Agatha Christie, esse foi o terceiro livro que eu li da autora, e por incrível que pareça foi o que eu menos gostei.

No livro protagonizado por um dos detetives mais conhecidos, Hércule Poirot, acompanharemos ele em mais uma investigação, tudo começa quando este recebe um telegrama na Turquia requerendo seu retorno imediatamente à Londres, Poirot resolve embarcar as pressas no Expresso do Oriente, nesse caminho de volta acontece um terrível assassinato no trem e cabe ao detetive correr contra o tempo para descobrir quem é o assassino antes dos passageiros chegarem ao seu destino. Quem é o assassino? Qualquer pessoa no trem é suspeita e uma investigação começa para tentar juntar as peças desse quebra cabeça.

Hércule Poirot se vê mais uma vez em um mistério, a vítima é uma pessoa muito importante e que tem vários inimigos, todos os passageiros são suspeitos. Começa - se um inquérito policial para colher provas, ouvir depoimentos e tentar descobrir quem é o verdadeiro criminoso, tudo parece estar longe de ser resolvido e há um prazo para tudo ser solucionado, pois assim que o trem chegar ao seu destino final o suspeito estará livre.

"O detetive tirou a cigarreira do bolso e acendeu um cigarro. Seus olhos pareciam sonhar. - É isto que torna o caso tão interessante para mim - comentou. - Todos os caminhos normais nos foram cortados. Será que essa gente diz a verdade ou está mentindo? Não temos como saber. Tudo se resume em exercício mental."

Como na maioria dos livros da Agatha, ela coloca o leitor ali no meio de toda a história tentando adivinhar junto com o protagonista quem é o verdadeiro culpado, a escrita da autora é bem detalhista e apesar de ser um livro curtinho há vários acontecimentos durante a trama e o leitor precisa sempre estar prestando atenção à todos os detalhes. A forma como ela constrói os personagens é algo que eu gosto muito, cada personagem é diferente do outro com suas peculiaridades e características bem definidas.

Confesso, que fiquei um pouco decepcionada com esse livro, era o que eu mais tinha curiosidade em ler da escritora, esperava um pouco mais da história, acredito que faltou mais ação no decorrer do enredo, achei meio "parada" a leitura. O final me pegou de surpresa, não era o que eu estava esperando, foi um final bem inteligente e criativo, mas que na minha opinião poderia ter sido mais trabalhado.

"Assassinato no Expresso do Oriente" é um livro de investigação, suspense, um pouco de ação e mistério, com um final surpreendente. Apesar das críticas eu indico o livro, mas com ressalvas, não espere um livro eletrizante ou impactante, pois essa não é a proposta, leiam sem expectativas e espere um enrendo cheio de detalhes com diversos personagens, e acredite em mim, o final apesar de ser "seco" compensa muito a leitura, duvido que você adivinhará que cometeu o assassinato.

"Certamente - concordou Poirot - , e ainda mais quando há uma desavença. Mas este é um crime diferente. Tenho meu palpite, meu caro amigo, que este crime foi cuidadosamente planejado. É um crime longamente premeditado, até mesmo ensaiado. O crime indica um cérebro frio, deliberado, eu diria anglo- saxônico."





Espero que tenham gostado da resenha.
- Beijos, Carol!




Título: Asylum (livro 1)

Autora: Madeleine Roux 

Editora: VeR

Páginas: 336

Ano: 2014

Sinopse: Para Dan Crawford, 16 anos, o New Hampshire College Prep é mais do que um programa de verão – é uma tábua de salvação. Um pária em sua escola, Dan está animado para finalmente fazer alguns amigos em seu último verão antes da faculdade. Mas, quando ele chega no programa, Dan descobre que seu dormitório para o verão costumava ser um sanatório, mais comumente conhecido como um asilo. E não apenas qualquer asilo — um último recurso para criminosos insanos.À medida que Dan e seus novos amigos, Abby e Jordan, exploram os recantos escondidos de sua casa de verão assustadora, eles logo descobrem que não é coincidência que os três acabaram ali. Porque o asilo é a chave para um passado terrível. E existem alguns segredos que se recusam a ficar enterrados.

Oii galera, tudo bem com vocês? Hoje vou falar desse livro que fazia muuuuito tempo que eu queria ler, acho que desde quando foi anunciado seu lançamento, eu gosto do gênero terror e ao olhar para essa capa pensei "uaaaaau, vou sentir muito medo, olha essa capa e essa sinopse, quero" hahahahaha, mas como as vezes felicidade de leitor dura pouco, não foi tudo o que eu esperava, e teve um ponto que me incomodou muito durante a leitura.

No livro, conheceremos Dan, o protagonista, ele decide começar a estudar em uma escola preparatória para a faculdade chamada New Hampshire, ele está realmente animado com a nova escola e a perspectiva de fazer novas amizades. A história começa quando Dan descobre que o seu dormitório fica em um prédio que era antigamente um sanatório para criminosos. Tudo fica ainda mais sinistro quando Dan começa a receber fotos estranhas, bilhetes enigmáticos e a sentir uma presença ou alguém que parece sempre estar por perto. Realmente há algo acontecendo e não é nada bom.

Dan, resolve se aventurar para tentar descobrir o que realmente aconteceu com o antigo sanatório e nessa sua missão ele faz dois amigos, Abby e Jordan. Esses três acabam descobrindo uma sala bizarra que guarda histórias do que aconteceu no passado, a cada momento mais coisas são descobertas e fica ainda mais estranho, ao que tudo indica nada acontece por acaso e não é coincidência os três amigos terem se conhecido, tudo está interligado.

"- Abby, se ele quer ficar sozinho...
- Mas ele não quer. Cada um lida com o estresse de um jeito. Acho que está se fechando porque não quer incomodar a gente com seus problemas. Quero que ele saiba que pode falar sobre o que quiser."

Iniciei a leitura do livro com altas expectativas, pois amo livros de terror, e a premissa do livro me chamou muito a atenção, a escritora tinha tudo para trazer uma trama original e de sucesso. Mas, acredito que o que atrapalhou e me incomodou foi os personagens, a Madeleine não soube construir personagens que se encaixassem na trama, faltou simpátia e desenvolvimento entre eles, infelizmente foi um ponto que não me agradou, e faz toda a diferença em um livro.

Porém, tirando a parte dos personagens, eu gostei muito do livro, não posso deixar de esquecer que o livro é cheio de imagens meio apavorantes hahahaha isso foi um ponto forte do livro pois ajuda o leitor a imaginar melhor a história, a escrita da Madeleine foi algo que me chamou a atenção no quesito emoções: ela consegue muito bem deixar o leitor tenso, aflito ou até mesmo apreensivo durante a leitura, acho que nesse tópico a autora conseguiu realmente trazer um universo mais oculto e sombrio que é o que um livro de terror/suspense pede. Vale ressaltar, que o mistério do sanatório desativado foi algo que eu só adivinhei quando a escritora começou a falar a respeito e tudo se interliga de forma bem inteligente, como esse é o primeiro livro de uma série o leitor não descobre tudo, mas ela já dá algumas respostas e pistas do que ainda está por vim, gosto quando algumas perguntas são respondidas em um primeiro volume de uma série.

"Asylum" é um livro que vem com uma premissa que pode agradar quem curte livros de terror e suspense, a autora tem uma escrita extremamente agradável com relação à construção de um ambiente e há momentos em que ela deixa o leitor nervoso e apreensivo, no entanto, o livro não tem personagens cativantes, o protagonista até é um pouco interessante (um pouco, beeem pouco mesmo), mas os restante dos personagens são desconexos entre si e na trama. No entanto, apesar das críticas, é uma série que eu pretendo continuar em 2018 e espero que ela melhore.

"- Sabe de uma coisa, Dan, às vezes os amigos precisam bater o pé e dizer: "Ei, seu idiota, estamos aqui pro que der e vier. Não vamos virar as costas quando você estiver mal-humorado ou nervosinho, não vamos desistir de você. Estamos aqui pra cuidar uns dos outros."



Espero que tenham gostado da resenha.
- Beijos, Carol!



Título: Outros jeitos de usar a boca

Autora: Rupi Kaur

Editora: Planeta

Páginas: 208

Ano: 2017

Sinopse: 'outros jeitos de usar a boca' é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Oii galera, tudo bem com vocês? Para quem não sabe eu sou apaixonada por poesias, e, apesar de não ler tantos livros desse gênero sempre tento ler pelo menos um por ano, e o queridinho que eu li esse ano foi "Outros jeitos de usar a boca" da Rupi Kaur, apesar desse título "polêmico" que permite inúmeras interpretações o livro vai tratar de temas bem sérios e necessários na nossa sociedade como feminismo, amor, auto estima, padrões, abusos e muitos outros. 

A obra é dividida em quatro partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura. E nessas partes a autora de forma brilhante vai conduzindo o leitor com poesias e ilustrações. Na primeira parte (dor), eu fiquei bastante emocionada com toda a carga dramática que é passada, tratando sobre as dificuldades de ser mulher, os abusos e os problemas familiares. 

"Você me diz para ficar quieta porque
minhas opiniões me deixam menos bonita
mas não fui feita com um incêndio na barriga
para que pudessem me apagar 
não fui feita com leveza na língua 
para que fosse fácil de engolir 
fui feita pesada 
metade lâmina metade seda
difícil de esquecer e não tão fácil 
de entender"

No amor, segunda parte, a escritora trata sobre as delícias de se apaixonar, o amor em suas diversas formas, o desejo. E, apesar de ter um conteúdo sexual, a Rupi descreve sem ser obsceno, fazendo uso de palavras de duplo sentido e metáforas, é realmente algo lindo de ser lido, repleto de delicadeza. Na terceira parte, a ruptura, é um tópico forte também, pois vai tratar de términos, traições, dores e mentiras, aqui a escritora traz um tom melancólico e triste as poesias. 

"o amor vai chegar 
e quando o amor chegar 
o amor vai te abraçar 
o amor vai dizer o seu nome 
e você vai derreter 
só que às vezes
o amor vai te machucar mas
o amor nunca faz por mal 
o amor não faz jogo
porque o amor sabe que a vida 
já é difícil o bastante"

E, por fim, vem a última parte do livro, a cura, e, talvez essa seja a parte que eu mais me identifiquei e gostei, nesse tópico vemos e entendemos que não importa o quanto a sua vida esteja ruim ou o quanto você acha que tudo está errado, não importa pelo que você está passando, sempre há recomeços, renascimentos e segundas chances, a cura está para todos, a vida sempre dá um jeito de nos mostrar que há uma solução para os problemas.

"nenhum de nós está feliz
mas nenhum de nós quer desistir 
então continuamos nos machucando
e chamando isso de amor"

"Outros jeitos de usar a boca" é um livro que me conquistou desde as primeiras páginas, me senti conectada em cada verso, a Rupi conseguiu transmitir tudo o que ela queria ao trazer temas tão complicados de serem abordados, e ela faz isso com maestria, emoção, delicadeza e sensibilidade. Foi uma leitura incrível, como mulher me senti representada, com certeza é uma obra do qual vale a pena ser lida por todo o público, tanto masculino como feminino. Foi uma experiência maravilhosa, mágica e linda, recomendo muito.

"acima de tudo ame
como se fosse a única coisa que você sabe fazer
no fim do dia isso tudo
não significa nada 
esta página 
onde você está
seu diploma 
seu emprego
o dinheiro
nada importa 
exceto o amor e a conexão entre as pessoas 
quem você amou 
e com que profundidade você amou 
como você tocou as pessoas à sua volta 
e quanto você se doou a elas"




Espero que gostem da resenha.
- Beijos, Carol!





Oii galera, tudo bem com vocês ? Para quem não sabe é a primeira vez que vou fazer uma TBR aqui no blog, que significa uma espécie de meta de leituras, o que planejo ler durante o mês. Bom, resolvi fazer para esse último mês do ano, e basicamente vai ser uma TBR para tentar finalizar alguns livros que tenho aqui e que quero muito terminar ainda esse, espero conseguir ler tudo o que planejei.


1) Se houver amanhã (livro1) do Sidney Sheldon
Sinopse: A vida da jovem Tracy Whitney muda drasticamente quando, vítima de uma ação criminosa, ela é condenada por um crime que não cometeu. Rejeitada pelo homem que amava e abandonada à própria sorte, Tracy se vê sozinha em um mundo violento e sombrio. Depois de cumprir pena e ter de volta sua liberdade, ela só tem um objetivo: vingar-se dos homens que a colocaram injustamente na prisão. Para isso, ela se torna uma expert em disfarces e especialista em aplicar golpes em empresários inescrupulosos. Mas seus planos podem ir por água abaixo quando o destino coloca em seu caminho um poderoso rival, Jeff Stevens, um irresistível trambiqueiro.

Eu amo Sidney Sheldon e esse é o meu livro favorito dele, então vai ser uma releitura que vou fazer, pois vou ler as continuações e quero me lembrar de todos os detalhes. Mas, para quem gosta de ação, suspense, romance policial, pode apostar nesse livro aqui sem medo, é uma leitura incrível.



2) Em busca de um novo amanhã (livro 2) do Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe 
Sinopse: (spoiler na sinopse): Ao lado de Jeff Stevens, Tracy Whitney foi responsável por alguns dos maiores assaltos do mundo. Movida pela adrenalina que o perigo proporciona, ela sempre esteve à vontade com a vida de criminosa. Mas, quando ela e Jeff se casam, eles fazem um trato: deixar o passado de crimes para trás e formar uma família. Decidida a abandonar o crime e levar uma vida digna, Tracy se esforça para adaptar-se à nova rotina. Mas ela sente que falta algo para que seja realmente feliz: um bebê. Porém, à medida que os meses passam e a tão desejada gravidez não acontece, ela se sente cada vez mais infeliz. Quando uma misteriosa e envolvente mulher surge na vida do casal, a até então indestrutível parceria deles é abalada. Um belo dia, Jeff acorda e descobre que Tracy desapareceu. Por mais de dez anos, ele faz o possível para descobrir o paradeiro da amada mas, como o restante do mundo, acredita que ela esteja morta... até que uma série de assassinatos leva um audacioso detetive francês a acreditar que a vigarista está envolvida nos crimes. Tracy Whitney está mais uma vez no centro de uma misteriosa trama. A diferença é que, agora, ela tem tudo a perder, inclusive o homem que não consegue esquecer.

Bom, eu fiquei mega empolgada quando soube que tinha saído a continuação do livro "se houver amanhã" que é um dos meus livros favoritos da vida, estou curiosa para saber o que vai acontecer e com altas expectativas, espero não me decepcionar.

3) Um amanhã de vingança (livro 3 ) do Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe
Sinopse: (spoiler na sinopse): O mundo de Tracy Whitney foi destruído. Sem mais nada a perder, ela está de volta. E com muita sede de vingança… Ela foi responsável por alguns dos roubos mais audaciosos do mundo, mas deixou o passado de crimes para trás, teve um bebê e passou a levar uma vida digna ao lado do filho. Porém, uma grande tragédia obrigou Tracy Whitney a enfrentar seu maior pesadelo. Agora, sem mais nada a perder e com uma sede implacável de vingança, Tracy está de volta à ativa e não vai descansar até encontrar a mulher que ela acredita ter destruído sua vida: Althea. Essa misteriosa figura é a pessoa mais procurada pela CIA e a cabeça da organização criminosa que pretende acabar com o capitalismo. Envolta em uma trama de corrupção e rodeada por inimigos disfarçados de aliados, Tracy precisará ir além de todos os seus limites e enfrentar seus maiores demônios para impedir uma guerra mundial. Impelida pela sede de vingança e com o futuro de tantas pessoas em suas mãos, até onde Tracy será capaz de ir quando não resta mais nada a perder?

Gente, assim que soube que tinha continuação do livro "se houver amanhã" descobri que era uma trilogia, e esse é o último livro. É como eu disse no livro acima, estou curiosa e com altas expectativas para saber tudo que vai acontecer.

4) Loney do Andrew Michael Hurley 
Sinopse: Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar. À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera pouco tempo antes. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem. O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço. Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês. 


Esse livro me chamou a atenção desde seu lançamento, essa capa e a sinopse me deixaram instigada, por acaso achei ele em um sebo e acabei comprando, mas daí ele ficou parado na minha estante, vamos ver se desencalho ele esse mês.



5) A linguagem das flores da Vanessa Diffenbaugh
Sinopse: Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio. 

Esse livro eu não sei muito bem do que se trata (não quis ler a sinopse) mas, pelo que eu vi por cima, acredito que seja um romance com bastante drama, do jeito que eu gosto hahaha, eu comprei ele numa promoção na americanas já faz um tempo e deixei parado na estante, tá na hora de dar um jeito nele e ler. 



6) Serial Killers : anatomia do mal do Harold Schechter
Sinopse: Entre na mente dos psicopatas. O dossiê definitivo sobre assassinos em série. O que faz pessoas aparentemente normais começarem a matar e não pararem mais? O que move – e o que pode deter – assassinos em série como Ed Gein, o psicopata americano que inspirou os mais célebres maníacos do cinema, como Norman Bates (Psicose, de Alfred Hitchcock), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica, de Tobe Hooper) e Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes, de Jonathan Demme). Como explicar a compulsão por matar e o prazer de causar dor, sem qualquer arrependimento? De onde vem tanta fúria? As respostas estão no novo lançamento da editora DarkSide Books: Serial Killers – Anatomia do Mal, dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. Escrito por Harold Schechter – que pesquisa o tema há mais de três décadas e já publicou, inclusive, a biografia de Ed Gein (Deviant, 1998) -, o livro é referência fundamental a todos os que se interessam pelo universo da investigação e da criminologia. Pontuado por curiosidades macabras, dados científicos e fatos pouco conhecidos sobre a trajetória dos principais criminosos em série dos Estados Unidos, Serial Killers: Anatomia do Mal abrange desde a criação do termo serial killer no início do século XX até o fascínio exercido por assassinos em série na cultura pop (cinema, música, literatura). Com clareza, ritmo e muita informação, Harold Schechter traça perfis psicológicos impressionantes de criminosos que desafiaram a polícia, viraram notícia e continuam a nos assombrar nas telas da TV e do cinema. Além de Ed Gein, a galeria de personagens sinistros inclui a ex-prostituta Aillen Wuornos (inspiração para o filme Monster), que, depois de confessar seis assassinatos, pediu para ser condenada à morte para interromper a matança, o Assassino do Zodíaco (cuja verdadeira identidade é desconhecida até hoje), Charles Manson, o lunático que comandou o assassinato da atriz Sharon Tate em um ritual macabro , o canibal Jeff Dahme, que chegou a matar e devorar uma pessoa por semana no verão de 1991e Green River Killer, principal assassino de prostitutas da história, só capturado pela polícia com a ajuda de outro serial killer. Em Serial Killers: Anatomia do Mal você vai descobrir como eles matam e por que eles matam. Por amor, desespero, dor ou prazer. Por conta de famílias desfuncionais e infâncias perturbadoras. Em nome do demônio ou para o jantar… Histórias Reais, Assassinos Reais, de uma maneira que você nunca viu, estudados com rigor científico, profundidade e conhecimento psicológico. Um livro que vai atrair a atenção dos fãs das séries CSI, Criminal Minds, Dexter e do canal Discovery Investigation e de todos aqueles que querem entender o que se passa na mente dos assassinos mais temidos e cruéis de todos os tempos.

Gente do céu, eu preciso terminar esse livro hahahaha questão de vida ou morte, eu comecei ele ano passado, li umas 150 páginas e parei, e o pior é que o livro é ótimo, só que é daqueles que não dá para ler tudo de uma vez só, tem que ir lendo aos poucos para aproveitar ao máximo a leitura, até porque o conteúdo é denso e cheio de detalhes, eu não sei se vou ler ele de uma vez só em dezembro, mas preciso ler mais umas 150 páginas antes de acabar 2017, torçam por mim :)

Bom galera, essa foi a minha TBR de dezembro, até que fui bem realista, não exagerei nas metas, até porque não sei como vai ser esse mês. Espero que tenham gostado, e me contem o que vocês planejam ler esse mês.
- Beijos, Carol!













Título: Amante Sombrio, livro 1 da série Irmandade da Adaga Negra 

Autora: J. R. Ward 

Editora: Universo dos Livros

Páginas: 448

Ano: 2009

Sinopse: Uma Irmandade secreta, formada pelos seis vampiros mais fortes e poderosos defensores de sua raça está em ação em Caldwell, Nova York. E nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra.Wrath é o vampiro de raça mais pura e ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça (filha de pai vampiro e mãe humana) ignorante de sua herança e destino, não terá outra saída senão cuidar da bela garota e levá-la para outro mundo.Ela, Beth Randall, vê-se impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente e sensual, que a visita durante a noite, envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade e o mundo dos vampiros a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Oii galera, tudo bem com vocês? Hoje, vou falar com vocês sobre um livro que aborda um dos seres sobrenaturais que eu mais amo: os vampiros. Sou apaixonada pelo universo vampiresco, mas estou acostumada com os vampiros que são retratados em filmes e séries ( alô The Vampire Diares? Damon? hahahahaha),  agora com relação à livros eu nunca li nada que tivesse como tema central os vampiros. Então, resolvi que precisava ler algo com essa temática, e pesquisando por livros nesse estilo me deparei com a série da Irmandade da Adaga Negra, essa saga se eu não me engano está no 16º livro (é livro até não querer mais hahahaha). 

Então pessoal, "Amante sombrio" vai contar a história de uma irmandade formada por seis vampiros guerreiros, eles são responsáveis por proteger a sua raça dos seus maiores inimigos, os redutores, que são humanos sem alma que caçam vampiros, eles vivem em constante guerra um com os outros em Caldwell, uma cidade de Nova York. 

Em cada livro pelo que pude perceber vai focar na vida de um desses guerreiros, tendo como pano de fundo essa guerra. Nesse primeiro volume conheceremos Wrath, que é o vampiro de sangue mais puro existente entre os guerreiros, tudo se inicia quando um dos seus amigos que também é um guerreiro acaba morrendo após uma armadilha feita pelos redutores, porém como melhor amigo de Wrath ele deixa ao seu amigo a missão de cuidar da sua filha que é uma mestiça chamada Beth, o problema é que Beth não conheceu seus pais e não sabe da existência dos vampiros. Então, Wrath se vê obrigado a conviver com Beth e a tentar convence-la que ela corre grande perigo já que aos 25 anos os mestiços passam por uma perigosa transição que pode resultar em sua morte, porém Beth não acredita na história desse estranho já que ela não conhece seus pais, porém algo que ambos não podem negar é a conexão e atração existente entre eles. Será que Beth irá sobreviver à transição? Será que Wrath e Beth conseguirão negar seus sentimentos?

O livro irá se desenvolver a partir dessa premissa, o mais interessante no livro foi toda a construção criada pela autora na construção dos vampiros e redutores, é completamente diferente do clichê que já estamos acostumados. Aqui, os vampiros foram criados pela Virgem Escriba, um ser imortal, eles podem se relacionar com os humanos e até ter filhos, porém um humano nunca se transforma em vampiro e além disso os mestiços podem ou não passar pela transformação e serão seres híbridos, há várias outras diferenças como por exemplo o que realmente alimenta e dá força a um vampiro é o sangue de outro vampiro, eles até bebem o sangue humano mas não é o suficiente. Já os redutores foram criados pela Ômega, a maior inimiga da Virgem Escriba e a função deles é eliminar os vampiros. Os humanos não tem conhecimento desses seres, vivendo alheio a tudo isso.

“Tão importante quanto saber quem você é, pensou ele, é saber quem você não é.”

A forma como Wrath e Beth vão crescendo ao longo da trama é algo que me surpreendeu, assim como o leitor Beth não conhece nada desse novo mundo no qual ela parece fazer parte, vamos juntos com ela fazendo várias descobertas e entendendo como as coisas funcionam. Wrath é um personagem maravilhoso e complexo, além de todo o poder que ele tem na irmandade ele enfrenta vários problemas pessoais e ver o seu amadurecimento e a forma que ele enfrenta esses problemas foi algo que eu gostei de acompanhar, a relação dele com Beth e a ligação de amizade que ele tem com os demais guerreiros encaixou extremamente bem no enredo.

A leitura fluiu super bem, a autora tem uma escrita leve e retrata muito bem os personagens e o mundo criado. Como esse é o primeiro livro da série, eu fiquei meio confusa no início da leitura, pois além de ter vários personagens com nomes diferentes, há várias palavras e expressões que são específicas dos vampiros e redutores, há um glossário no livro com o significado das palavras e isso dá um suporte para o leitor compreender melhor a história e não ficar tão perdido. Talvez, algo que possa incomodar um pouco alguns leitores é que há várias cenas eróticas ao longo do livro, confesso que isso não é algo que me agrade, tanto que evito livros que sejam eróticos, pois a autora acaba focando muito nas cenas de sexo e esquece de desenvolver a trama, porém em Amante Sombrio eu não achei que isso aconteceu, a autora soube equilibrar e desenvolver a história.

"Amante sombrio" é um livro que traz um universo novo de vampiros, diferente de tudo que eu já tinha visto na tv, a escritora cria um ambiente diferente, e a mitologia por trás desses seres sobrenaturais é fascinante e faz com que leitor fique mais curioso para entender o porque da guerra entre vampiros e redutores. Algumas ressalvas é que como tudo é muito novo e são vários detalhes, talvez o leitor fique confuso, e é claro que quem não gosta de livros eróticos as vezes pode se decepcionar um pouco com esse livro, comigo ele funcionou bem, não tive grandes problemas com isso, lógico que teve uma cena ou outra que me incomodou um pouco no começo, mas foi superável hahahaha. Ademais, indico muito a leitura, e se você assim como eu é apaixonado por vampiros, um pouco de ação , uma dose de romance hot e uma história que fuja do padrão "vampiresco" que estamos acostumados se joga nesse livro que você irá adorar.  

“Algumas pontes temos de atravessar sozinhos, não importa quem nos empurre até ali”



Espero que gostem da resenha.- Beijos, Carol!




Título: Fiquei com o seu número 

Autora: Sophie Kinsella

Editora: Record

Páginas: 464

Ano: 2012

Sinopse: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone perdido no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de ter alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.

Oii galera, tudo bem com vocês? Hoje a resenha é desse queridinho que me ganhou logo nas primeiras páginas, "Fiquei com o seu número" da Sophie Kinsella, um chick lit muito engraçado que vai tratar sobre a Poppy, uma jovem que está com a vida perfeita: ela está prestes a se casar com um homem maravilhoso, está feliz no seu emprego. Tudo está incrível até que acontece um desastre: ela perde o seu anel de noivado que está na família do seu noivo a várias gerações e ainda por cima acaba perdendo o celular junto no hotel, desesperada sem saber como os funcionários do hotel irão avisa-lá no caso de encontrarem o anel ela acaba que ao acaso encontrando um celular perdido, bom, parece que o problema está resolvido né, exceto pelo dono do celular, o executivo Sam que acaba de descobrir que a sua secretária pediu demissão e jogou o celular da empresa no lixo, ele não gosta nada da ideia de um estranho bisbilhotando sua vida particular, mas a Poppy parece estar decidida a ficar com o aparelho até que alguém encontre o seu anel. Por isso, eles acabam entrando em um acordo, Poppy pode utilizar o celular, mas em troca ela deve repassar todos os e-mails recebidos no aparelho para Sam, bem, para Poppy parece o plano perfeito, não tem como nada dar errado ou tem?

Eu comecei a ler esse livro bem empolgada, nunca tinha lido nada da autora e nem desse gênero, mas o pessoal comenta super bem, e me surpreendi, eu amei a história do início ao fim. Na história vamos acompanhar a vida de Poppy e a sua saga para reencontrar o anel perdido, é hilária as situações que ela enfrenta, além disso, para completar ela precisa ir ver os pais do seu noivo que ao que tudo indica não gostam dela, em meio a essa confusão, ela precisa receber os e-mails de Sam, no entanto ela acaba respondendo alguns e isso só traz mais confusão ainda.

A Poppy, foi uma personagem que me cativou muito, no início ela é do tipo ingênua que aceita tudo e tenta ajudar a todos, mas o desenvolvimento dela ao longo da história foi sensacional, ela vai crescendo e amadurecendo e o Sam é fundamental nessa mudança. Foi interessante ver a forma que a escritora desenvolveu essa relação deles que de desconhecidos acabam se tornando amigos. Outro ponto que me chamou muito a atenção, foi a construção dos personagens secundários, que fazem grande diferença no livro, a autora não preocupou em desenvolver só os protagonistas, ela também dá atenção aos outros. 

"- E não importa. - Eu empino o queixo com nobreza. - Seja lá quem fosse, quer eu conhecesse ou não, se eu pudesse ajudar de alguma forma, eu ajudaria. O que eu quero dizer é, se você pode ajudar, tem que ajudar. Não acha?"

"Fiquei com o seu número" me conquistou logo nas primeiras páginas, dei muitas risadas, foi uma leitura leve, divertida e o final é bem clichê, mas é um clichê bem construído daqueles que você gosta de ler e fica feliz de ter acontecido, típico de sessão da tarde na globo hahahahaha. Para quem assim como eu não é acostumado com chick lit ou não nunca leu nada do tipo eu recomendo muito esse livro, tenho certeza que vocês irão amar, e é lógico que já quero ler mais coisas da Sophie Kinsella.

"Independente do que já aconteceu, a vida é curta demais para não se perdoar. A vida é curta demais para se guardar ressentimentos." 




Espero que gostem da resenha.
- Beijos, Carol!